astrespiramides

astrespiramides

domingo, 11 de novembro de 2012

Fraga ao vento


Gosto muito desta foto que tirei em Peniche há uns 5 anos e tem a forma de uma cara, sempre que a vejo  fico impressionada.

Talvez penses ser o que te chamam
pedra, fraga, rochedo inanimado,
mas eu olho para ti
e vejo um ser de olhos doces
com um sorriso magnânimo
esculpido no teu peito
um coração que palpita sem se ver,
o tempo vai passando
os ventos ciclónicos moldam a tua face
mas manténs a imponência sem orgulho
pelos que passam por ti e não te veem
quem será que és, ou que foste
e que dor tamanha te fizeram
para te transformares numa pedra.

Poste e foto Luna

19 comentários:

  1. Bonito poema, amiga Maria. Um abraço. Tenhas um lindo domingo.

    ResponderEliminar
  2. Bonitas fotos com um belo poema ,assim como a pedra tambem nos sofremos do mesmo mal do tempo,nos desgasta e nos tranforma nas pessoas que somos hoje ,beijinho

    ResponderEliminar
  3. o poema está bom.

    a foto realmente impressiona.

    uma boa semana.

    um beijo

    ResponderEliminar
  4. Querida e doce Luna muito bonitas estas tuas palavras e a pedra é sim um rosto tal qual o descreves. Simplesmente lindíssimo a tua interpretação de ambos. Mil beijinhos minha amiga com muita amizade e carinho. Boa semana. Abraço apertado.

    ResponderEliminar
  5. Olá Luna, não sei que mais admirar se a foto se o poema, mas que ambos são um obra de arte, lá isso são. Parabéns Luna pela luz que irradias. Beijinhos e boa semana. Ailime

    ResponderEliminar
  6. Luna,
    Ela somos nós, a dor é nossa...

    Beijo :)

    ResponderEliminar
  7. Linda a foto Luna!
    sabes que gosto imenso desse rochedo, conheço e também tenho foto dele, mas anda perdida.

    Lindo, sensual esta tua belissima interpretação Luna!


    beijinho e uma flor

    ResponderEliminar
  8. A natureza é simplesmente fantastica e muitas vezes não observamos, ainda bem que você teve um olhar sensivel para tirar esta foto.
    belo poema tenha uma linda semana Luna

    ResponderEliminar
  9. Luna....
    Linda a foto, onde você coloca muito bem:
    Os ventos modificam a face exposta, porém, não lhe tiram a imponência e a altivez.
    Teu poema retrata muito bem a foto.
    Belo post.

    ResponderEliminar
  10. Impressionante, realmente, tem um rosto claramente desenhado.

    Mas será por acaso...ou foi mesmo esculpido?


    Um abraço terno, minha querida

    ResponderEliminar
  11. Realmente, é impressionante! A natureza é tão perfeita...e o poema, acompanha essa perfeição!

    Que sua semana seja repleta de bênçãos de luz e paz!!
    Beijos!!♥

    ResponderEliminar
  12. Realmente impressionante, Luna. Valeu inspirar foto e texto que se completam! Boa semana.

    ResponderEliminar
  13. Desconhecia de todo, conheço Peniche, praticamente, de passagem. O enquadramento é esplêndido.
    Adorei o poema. Talvez a transformação em rocha seja sedimentar, um pouco por analogia.
    Beijinho

    ResponderEliminar
  14. Oi Luna
    Acontece muito em pedras com características humanas _ conheço várias por aqui ,onde estou atualmente.
    O poema bem construído inspirado na pedra que vês e fotografa,muito bom Luna
    deixo abraços

    ResponderEliminar
  15. Nossa Luna,que bonito poema e adorei essa pedra!Interessante e curiosa formação!bjs e boa semana!

    ResponderEliminar
  16. Nunca me lembraria de fazer um poema a uma perdra...
    Bem, mas esta não é uma pedra qualquer e o teu poema ficou muito bom.
    Amiga, tem uma boa semana.
    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  17. Quanta sensibilidade no teu olhar.
    O poema e a foto revelam que estou certa.


    beijinhos

    ResponderEliminar