astrespiramides

astrespiramides

quinta-feira, 11 de janeiro de 2018

Caminhava na praia deserta
Sentindo o cheiro do vento,
olhei o horizonte de olhos cerrados,
assim te pude ver
companheiro da eternidade
não encontrado nesta existência,
sinto os salpicos das ondas
que acariciam o meu rosto
quem sabe o teu carinho
no ancestral toque de amor,
sinto-te perto, ainda que longe,
mas que importa uma vida
se temos a imortalidade do tempo
no tempo que não existe,
no ar entoa a musica das esferas
nos doces acordes dos violinos
e das harpas dos tempos idos
abri os olhos
mas o sonho prevalece
no amor que é intemporal.


Luna

5 comentários:

  1. Lindo esse poema e esse amor intemporal sentido até pela musica das esferas...bjs praianos,chica

    ResponderEliminar
  2. Quando o amor é intemporal, o amor prevalece mesmo...
    Excelente poema, parabéns.
    Bom fim de semana, amiga Maria José.
    Beijo.

    ResponderEliminar
  3. Assim e o amor intemporal como as palavras que emanam tão belos sentires querida amiga ,muitos beijinhos no coração felicidades

    ResponderEliminar
  4. Como sabe tão bem caminhar pela praia quando não ninguém.
    Um poema lindo feito de sonho e com aroma a maresia.
    Bom fim de semana
    Beijinhos
    Maria de
    Divagar Sobre Tudo um Pouco

    ResponderEliminar
  5. Um poema etéreo e belo. Muito belo, NJ.
    Que bom é amar assim...
    Ótimo Domingo.
    Beijinhos
    ~~~~

    ResponderEliminar